Editorial

Amour . Amour

scratch4

É engraçado. Nunca pensei que uma teimosia saudável pudesse chegar aos sete anos. Mas chegou. E sabem que mais? É como aquelas paixões loucas que aparecem. Mas atenção, aqui não falamos de paixão só. Falamos acima de tudo de um caso sério de amor. Oh, déja vu.

Por Irene Mónica Leite

Entrar no mundo da economia de bits não foi fácil. Com efeito, neste editorial voltamos a bater (um pouquinho, ok?) na tecla da nossa história, apenas porque é o fim de mais um ciclo.

All these things that i have done”. Sempre gostei dos Killers. É com este orgulho que olho para trás. Com uma revista online criada, um livro publicado e os primeiros passos como argumentista. Assim tem sido este percurso. Mas a Scratch será sempre a protagonista. Porque sim. Ponto. E merece subir de escalão. Não foi por acaso que a sua publicação para caráter irregular aconteceu. Tive que encontrar outro trabalho para poder desenvolver este sonho, de forma a que este não se torne numa utopia, ou pior, um pesadelo.

Se há coisa que descobri que tenho é perseverança. Porque adoro a minha formação base como jornalista. Já falhei, claro. Mas retomei o percurso. E acredito muito no nosso trabalho. É que ao longo destes sete anos passaram por esta casa tremendos jornalistas. Não estou sozinha.

E todos estes factores são determinantes para os próximos desenvolvimentos. O ano que se aproxima será muy profícuo e mais uma vez contamos convosco.

Boas festas e……

Hasta la victoria siempre, dizia alguém. Quem fala assim não é gago.

Comment here