Nacionais

Aproxima-se o VIII Concurso Nacional de Cervejas Caseiras e Artesanais

O Outono também é sinónimo de cerveja e o Concurso Nacional de Cervejas Caseiras e Artesanais aproxima-se rapidamente da sua 8ª edição que, este ano, realiza-se, nos dias 8 e 14 de novembro, na HopSin (Colares) e na Praxis (Coimbra), respectivamente.


De acordo com nota enviada às redações, trata-se de um evento único em Portugal, o Concurso Nacional de Cervejas Caseiras e Artesanais procura promover e divulgar a cultura cervejeira portuguesa através dos seus cervejeiros e da produção de cerveja artesanal. Refira-se que foi o primeiro evento nacional certificado pelo BJCP, o Beer Judge Certification Program, uma organização mundial de juízes de cerveja, criada em 1985, presente em mais de 40 países e com mais de 6.000 juízes no Programa.

Tal como em anos anteriores, as receitas vencedoras de cada categoria são, posteriormente, produzidas por reconhecidas marcas de cerveja artesanal portuguesa. A este propósito, recorde-se algumas das receitas vencedoras até à data: “Trevo Frika”, reproduzida na Trevo da Caparica pelo Vasco Matos; a “Rocha Negra”, uma fantástica Irish Extra Stout elaborada na algarvia Marafada pelo Chris Pedigrew; a “Amnesia Juniper Smokin’”, receita repercutida na Mean Sardine pelo Rui Bento e a “Mag8”, cerveja finalizada na Oitava Colina pelos cervejeiros Sérgio Pardal e José Gonçalves. Em 2020, o concurso vai ter o patrocínio, entre outras, de marcas como a Dois Corvos, a Sovina, a Chica ou a Piratas Cervejeiros.

Muitos dos vencedores de edições anteriores do Concurso Nacional de Cervejas Caseiras e Artesanais são hoje cervejeiros conceituados no nosso mercado, demonstrando que o concurso é também uma forma de alavancar projectos e dar destaque à qualidade técnica dos homens e mulheres que partilham este hobby. São exemplos os mencionados Rui Bento, actual cervejeiro na Bolina, e Sérgio Pardal, dono e cervejeiro na HopSin, mas também Stefan Hunold, dono e cervejeiro da Mania, e João Brazão, do projecto Trevo da Caparica, apenas para mencionar alguns.

Para além da componente competitiva, o concurso é também um momento de confraternização da comunidade cervejeira nacional. Dadas as restrições impostas pela situação pandémica que atravessamos, as habituais conferências, workshops, partilha de cervejas caseiras entre produtores, entre outros momentos de convívio e comunhão cervejeira, vão ser limitados, seguindo as recomendações da DGS, pelo que, parte deles, vão ser realizados de forma virtual, através de plataformas de streaming.

Considerando que, nos últimos anos, têm sobrado algumas garrafas enviadas pelos concorrentes, este ano, a Comissão Organizadora do Concurso vai recolher todas as garrafas excedentes e promover um leilão, revertendo a receita arrecadada para uma entidade de solidariedade social a definir.

Comment here