Nacionais

Aproxima-se  mais uma edição do Festival Internacional de Acordeão de Torres Vedras

Está prestes a iniciar-se a 17.ª edição do Festival Internacional de Acordeão de Torres Vedras – Acordeões do Mundo.

De acordo com nota enviada às redações, trata-se de um evento que está já consolidado no calendário internacional dos festivais de música e que marca a época outonal em Torres Vedras.

“Aos poucos temos vindo a fazer uma história da música popular e contemporânea ligada a este instrumento [o acordeão] tão singular. É de facto o nosso coração que toca — e é tocado — quando as sonoridades que chegam de tempos passados nos transportam com a força de mãos que são asas para uma festa interior — a festa maravilhosa da música e dos corpos. Uma dança uníssona, uma dança invisível de crianças entrelaçadas que nos faz vibrar os pés e bater palmas”, refere o diretor artístico do Festival Internacional de Acordeão de Torres Vedras, João Garcia Miguel, acerca desta iniciativa que se tem saldado por um amplo sucesso.

De referir que o Acordeões do Mundo apresenta este ano um novo formato, que consiste num maior número de concertos no Teatro-Cine de Torres Vedras, bem como na atividade “Manhãs do Acordeão”, por meio da qual acordeonistas tradicionais atuarão no Mercado Municipal de Torres Vedras.

Relativamente aos concertos no Teatro-Cine de Torres Vedras, o primeiro acontecerá no dia 13 de novembro, pelas 21h30, juntando o grupo Danças Ocultas ao diretor do festival e ator, João Garcia Miguel, em torno da obra de Fernando Pessoa.

Dois dias depois, à mesma hora, será a vez do Jokers subir ao palco do Teatro-Cine de Torres Vedras. Jokers é um trio híbrido de acordeão (Vincent Peirani), guitarra (Federico Casagrande) e bateria (Ziv Ravitz), no qual cada um dos músicos se pode destacar como solista. Tudo é possível e deixado ao livre arbítrio de cada um dos músicos, sendo que a música deste trio centra-se na equidade e na complementaridade, explorando, por vezes, a oposição imprevisível. A contradição assume assim um papel fundamental na identidade sonora do Jokers, tornando a sua paisagem musical ainda mais complexa e original.

Refira-se que o Eva Parmenter Quartet protagonizará o terceiro concerto desta 17.ª edição do Acordeões do Mundo, no dia 19 de novembro, pelas 21h30.

No dia seguinte, também pelas 21h30, será a vez do agrupamento musical Fake se apresentar no Acordeões do Mundo. Fake é constituído por Pedro Pascual (acordeão diatónico), Quim Farinha (violino) e Kin García (contrabaixo). Refira-se que a musicalidade deste grupo galego bebe da tradição europeia de ritmos dançáveis. Contemporaneidade e tradição juntam-se nos espetáculos do grupo Fake, os quais são conhecidos pela sua originalidade e impacto, bem como pelo facto de nos mesmos ser impossível acalmar os pés e não deixar os sentidos viajarem…

No quinto concerto da edição deste ano do Festival Internacional de Acordeão de Torres Vedras assistir-se-á a uma performance de um duo. Time of Life é o nome da mesma, a qual junta o norueguês Geir Draugsvoll, considerado um dos mais versáteis acordeonistas clássicos do mundo, à pianista dinamarquesa Mette Rasmussen. Time of Life aborda o reportório de Astor Piazzolla, uma vez que as composições de Novo Tango encaixam particularmente bem na exploração do diálogo entre acordeão e piano. Um espetáculo que terá lugar no dia 21 de novembro, pelas 21h30.

O último concerto da 17.ª edição do festival Acordeões do Mundo acontecerá no dia seguinte, pelas 18h. Reportório Osório: As mais belas canções de Umor! é o nome do mesmo. Trata-se da apresentação de uma coleção de canções que aliam a escrita sagaz de Luís Fernandes à magistral música de Luís Cardoso. Assistir-se-á neste espetáculo a um desfiar de histórias pessoais no masculino, quase sempre íntimas, do dilema ao dilúvio em poucas estrofes. O quotidiano das relações afetivas transformado em canções irónicas (para não lhes chamar heróicas)… As sonoridades do acordeão estarão a cargo de Sónia Sobral.

O acesso aos referidos concertos é limitado a 195 espetadores. O preço dos bilhetes para se assistir a cada concerto é de cinco euros, tendo o passe para os seis concertos um preço de 20 euros. Os bilhetes podem ser adquiridos antecipadamente na Bilheteira Online, nos postos de turismo de Torres Vedras e de Santa Cruz, no Museu Municipal Leonel Trindade, nas lojas FNAC, nos CTT e nas lojas Worten.

Do programa do 17.º Festival Internacional de Acordeão de Torres Vedras faz também parte um Baile do Acordeão, o qual acontecerá no dia 15 de novembro, pelas 16h30, no Teatro-Cine de Torres Vedras, protagonizado pelo duo Parapente 700. Será um encontro entre um violino (Denys Stetsenko) e uma concertina (Eva Parmenter), que proporcionará na ocasião uma viagem musical pela Europa (com danças italianas, francesas, suecas, portuguesas, entre outras), transformando-se músicas tradicionais de outrora e compondo-se outras, fundindo-se as inspirações atuais com os traços do passado. Nas palavras de Mário Rainha: “Parapente 700 é uma ideia ilimitada de liberdade: uma imagem de baile universal, onde cada corpo, de uma ponta até à outra, não é mais do que a livre expressão do pensamento.”

Já relativamente às “Manhãs de Acordeão”, estas acontecerão nos dias 13, 14, 20 e 21 de novembro, pelas 10h, no Mercado Municipal de Torres Vedras, animadas respetivamente por Vítor Apolo, Emanuel Soares, Mário Paulo e Modo Vilão.

De referir ainda que na edição deste ano do Acordeões do Mundo está também incluído o momento musical Jangada de Pedra, a levar a cabo por Martin Sued (bandoneonista e compositor de Buenos Aires) e Marco Santos (baterista e compositor nacional), na noite do dia 10 de novembro, no decorrer da Sessão Solene do Feriado Municipal de Torres Vedras, a qual terá lugar no Teatro-Cine de Torres Vedras.

Comment here